Maria na vida do povo - Paróquia Santa Rita de Cássia - Viçosa/MG

Maria na vida do povo

Evidente é a importância da mulher na vida da humanidade com sua ternura e docilidade, que toca o coração humano e o fecunda com seu amor. Na vida da cristandade não poderia ser diferente. Desde Eva e passando pelas santas mulheres, vemos a prefiguração do Amor de Deus encarnado no seio da sempre Virgem Maria, concedendo-lhe assim a graça de ser “Bendita entre todas as mulheres” (Lc 1, 42).

Inicialmente o carinho para com a Virgem Sapientíssima vem desde os primórdios da fé apostólica em que eles, os apóstolos, juntamente com ela eram perseverantes na oração (At 2, 42) e com ela aprendiam a amar o Cristo de todo o coração, pois a mesma já não o possuía devido ao fato que ele era todo de Deus. A Virgem, cheia de Graça, era a Mãe e companheira de caminhada dos seguidores e crentes em seu filho Jesus.

Sua presença materna sempre foi de singular importância para a vida da Igreja e do povo santo de Deus, a ponto de podermos dizer que uma Igreja sem Maria é uma Igreja triste ou como nos diz o Santo Padre “uma Igreja órfã”. Sua simplicidade, disponibilidade aos projetos do Pai e o seu silêncio sempre foram pontos que deram uma tônica especial a caminhada da Igreja militante. As mãos ternas de Maria apontam em profundo comedimento o Cristo à humanidade sedenta para uma vida plena n’Ele.

Manifesta-se em Maria a suma do Amor misericordioso do Pai, pois em Maria o homem perdido é finalmente encontrado e em suas entranhas é finalmente resgatado por Deus. A Virgem oferente possui um papel especialíssimo na vida da humanidade o que não repele a presença de Cristo, mas muito pelo contrário o aproxima, devido ao fato que todas as honras e louvores a ela prestados são em virtude de sua subserviência ao projeto do Criador.

Entrelaçado por tal mística, o homem imprime em sua vida a imagem da Santíssima Virgem e com ela se torna escravo do Altíssimo Deus e Senhor. Incontáveis são aqueles que por amor a Deus se submeteram a esta Mãe para atingirem a perfeição e santificarem suas almas. Ao subterrem-se àquela que durante a vida foi mantida em profundo sigilo encontraram no seu regaço a união com Cristo, visto que ela está intimamente ligada a Ele não apenas pelos vínculos de sangue, mas principalmente ligada pelas almas que se entrelaçam entre si e formam uma união mística e fecunda. “Esta união de Maria com seu Filho na obra da salvação manifesta-se desde a hora da concepção virginal de Cristo até sua morte” (Santo Agostinho).

Assim nos diz São Luís Maria Grignion de Montfort “Maria Santíssima é o paraíso terrestre do novo Adão, no qual este se encarnou por obra do Espírito Santo, para aí operar maravilhas incompreensíveis”. O povo santo ao se refugiar no colo da Virgem Auxiliadora dos cristãos encontra nela graças e bens fecundos, e também encontram o repouso tranquilo que somente uma mãe pode conceder.

Quantas provas de amor esta Mãe nos transmite todos os dias através de sua intercessão, quantos sinais visíveis podemos contemplar dessa presença materna ao longo da história cristã. Maria sempre ocupou um lugar de honra na vida do povo, uma vez que, é nela que nós encontramos refúgio e abrigo em meio a tantas dificuldades do dia-a-dia. Tantas aparições, tantas devoções, e jaculatórias a ela entoadas, quantas cidades, paróquias e comunidades de fé a ela dedicadas, quantos países a ela consagrados. Tudo isso demostra o amor de um povo o qual encontra em sua proteção o carinho e amor de que tanto necessitam.

Unida às fragilidades que cercam a vida humana, Maria se faz presente em todas e nas diversas situações do mundo atual. Onde se faz necessário a presença transformadora aí está a Virgem, Mãe dos oprimidos. Ao encontrar lugar no coração atribulado e abatido do homem ela se torna porto seguro e grande alento para aqueles que já sem fé ficam a vagar por cima desta terra sem rumo e sem direção. Ao se assemelhar e se fazer presente na vida de seu povo, Maria se torna esperança para os desesperançados e consolo para os desestruturados. A Mãe de tantos títulos entra na cultura e na história de sua gente e se torna escada a ligar Deus e o homem, como é o caso da pequenina imagem da Senhora da Conceição Aparecida. Ao ser milagrosamente “resgatada” da rede dos três benditos pescadores, Maria vem resgatar o homem que estava perdido e ligar as partes que se separaram muitas vezes por descuido do homem. No mistério da encarnação ela se põe de mãos postas em sinal de aceitação e união com seu celestial Pai e Esposo.

Inclinada no Presépio em sinal de adoração e reverência ao seu filho, o Deus Menino, Maria contempla a grandiosa obra do Pai, mas principalmente reforça sua escravidão e subserviência ao Todo Poderoso e nos ensina a servi-Lo de todo coração. De alma pura e contrita ao Pai, a Virgem sem mancha se faz serva das vontades Divina e acolhe a humanidade inteira. Toda mãe orienta e adverte seus filhos e com a Benditíssima Senhora não seria diferente. A Soberana Rainha do Céu e da Terra em sua singeleza e carinho para com suas proles muito amadas vem pura e cândida dizer a cada um de nós seu legado e herança, transmitidos ao longo de séculos ao seu povo fiel, para que assim possamos nos colocar sempre a serviço do Senhor que nos chama a servir.

(Junte a primeira letra de cada parágrafo e descubra o legado de Maria)

Paróquia Santa Rita de Cássia

Praça Silviano Brandão - s/n, Viçosa - MG, 36570-000

(31) 3891-5191