Paróquia Santa Rita de Cássia

Meditações sobre a Misericórdia

O nome de batismo da santa da Misericórdia era Helena, mas ao receber o hábito, em 1926, recebe o nome de Irmã Maria Faustina. Irmã Faustina apresentava uma profunda vida espiritual. Em 1931, na cidade de Plock, o Senhor começa a se manifestar a Irmã Faustina, revelando a centralidade do mistério da misericórdia divina para o mundo e a história, motivando-a ao apostolado em prol da divina misericórdia. Assim descreve a primeira visão:

“Da túnica entreaberta sobre o peito saíam dois grandes raios, um vermelho e outro pálido. (…) Logo depois, Jesus me disse: Pinta uma Imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (47).

Esses são os primeiros indícios da devoção à Divina Misericórdia.

A misericórdia humaniza o humano

Para Santa Faustina, a misericórdia humaniza o humano, o fazendo santo: “quanto mais humanos, mais santos nos tornaremos”. Jesus Cristo é o rosto da misericórdia e quanto mais a nossa santidade é dada pela estatura que o Cristo alcança em nós, modelamos / formamos a nossa vida sobre a sua. Isto é santidade!

Trecho do Diário – Assim, narra a Santa:

“Sinto uma grande dor quando olho para os sofrimentos do próximo. Refletem-se no meu coração todos os sofrimentos do próximo; levo suas aflições no meu coração, de tal forma que até fisicamente isso me deixa aniquilada. Desejaria que todas as dores recaíssem sobre mim, para aliviar o próximo” (1039)

“Ó meu Jesus, ensinai-me a abrir o âmago da misericórdia e do amor a todos que me pedirem. Jesus, meu guia, ensinai-me para que todas as minhas orações e minhas ações tenham impresso em si o selo da Vossa misericórdia” (755)

O que nos ensina Santa Faustina?

Para Santa Faustina, a civilização futura deverá ter como base a misericórdia. Cada gesto, os pensamentos, a oração, as palavras, tudo deveria estar marcado pelo selo da misericórdia do Senhor. Para ela, o amor a Deus e o amor aos irmãos são indissociáveis (cf. 1Jo 5,2). Por isso, somos chamados a configurar a nossa vida a Jesus que é a plena realização do amor a Deus e aos irmãos. Isso nos humaniza!

Viver a Misericórdia para humanizar o mundo é amar como o Senhor nos amou. “Deus, rico em misericórdia, pelo imenso amor com que nos amou, quando ainda estávamos mortos por causa de nossos pecados, deu-nos a vida com Cristo” (Ef 2,4-5).

A nossa humanização é a caridade necessária para nos aproximar das pessoas devolvendo-as a esperança onde há vazio, é fecundar a vida para responder aos desafios atuais do planeta, como o que estamos vivendo atualmente com o Covid-19.

Oh sangue e água que jorrastes do coração de Jesus como fonte de misericórdia para nós, eu confio em vós.

Bibliografia

BÍBLIA SAGRADA. Tradução oficial da CNBB. 2ªed. Brasília: Edições CNBB, 2019.

COMPÊNDIO DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. Edições Loyola, São Paulo, 2005.

FAUSTINA, Santa. Diário: A misericórdia Divina em minha alma. 41ª ed. Editora Apostolado da Divina Misericórdia: Curitiba, 2013

PAPA FRANCISCO. Exortação Apostólica: Gaudete et Exultate. Paulinas Editora, São Paulo, 2018.

15 dias de Oração com Santa Faustina. Disponível em: <www.misericordia.org.br>. Acesso em: 14 de abril de 2020.