Paróquia Santa Rita de Cássia

Nas núpcias em Caná da Galileia Jesus realizou o célebre milagre no
qual admiramos o poder do Filho de Deus, atendendo à intervenção
oportuna de sua Mãe. Aí Ele antecipou o momento no qual devia começar
a revelar sua glória. Notável a ação dos serventes que não falaram
nada, mas que seguindo o que lhe disse Maria puderam presenciar um
grande prodígio. Para que este milagre ocorresse foram colaboradores
da transformação da água em vinho, fazendo uma ação simples, mas de
extraordinário efeito ao encherem prontamente as talhas com água.
Eram talhas para as abluções rituais dos convivas e Jesus lhes pede
para as encher de novo com água impa. Eram seis talhas de pedra, cada
uma das quais continha duas ou três medidas, ou seja, de 38 a 40
litros. Certamente pensaram que se tratava de um trabalho inútil,
mesmo porque os convivas já se achavam assentados à mesa. A mãe de
Jesus lhes havia falado para obedecer as ordens de Jesus e o fez de
uma maneira muito convincente e, por isto, eles logo vão obedecer a
determinação de Jesus e, na verdade, encheram completamente as talhas
até à borda e as levaram ao mestre da mesa, ao mestre sala. A água,
porém se transformou em vinho. Os serventes escutam o mestre sala
felicitando o esposo, dado que o vinho era de primeira qualidade,
regalando os que estavam naquela festa. São João não disse como o
milagre foi em si saudado nem como o papel de Maria foi reconhecido,
mas de uma maneira incisiva afirma que foi o primeiro dos sinais
operados por Jesus e que os discípulos começaram a nele crer. A
orientação de Maria deve ecoar em nossos corações: “Fazei tudo que ele
vos disser”! Quantas inspirações Deus faz chegar a cada um, mas que
nem sempre são seguidas! Todo cuidado é pouco para não opor
resistência às graças divinas, mesmo porque estamos sempre repetindo a
Deus “seja feita a vossa vontade”! É preciso lutar contra a rebeldia
do coração. É pela docilidade diante das iluminações celestiais que o
cristão se torna obreiro das maravilhas divinas. Jesus quer se servir
de cada cristão para operar grandes coisas por toda parte. Com Jesus
seu seguidor pode multiplicar os benefícios celestes, mesmo que seja
através das ações aparentemente mais simples. É necessário se habituar
a escutar Jesus e a obedecer suas orientações. Que Ele possa, desde o
momento em que Ele nos inspira, nos encontrar prontos a encher as
bordas todas das talhas do nosso passado para que Ele coloque aí o
vinho novo que só ele pode oferecer. Saibamos, porém, sempre pedir a
Maria sua intervenção a nosso favor, aumentando cada vez mais a nossa
fé no seu divino Filho É através da fé que somos convidados a caminhar
a partir das intervenções de Jesus a nosso favor. Esta fé faz crescer
a confiança numa progressão contínua, aberta aos problemas que forem
surgindo e que vão sendo superados. Jesus faria depois muitos outros
milagres que iam acentuando na mente de seus discípulos a crença na
sua divindade. Esta fé, contudo, seria posta à prova por ocasião da
Paixão do senhor. Seria, porém, na manhã de Pascoa que ela renasceria
para se tornar aquele elã que os levaria, depois de Pentecostes, até
às extremidade do mundo, fazendo seguidores de Cristo de todas as
nações, batizando-os e os levando a observar tudo que ele lhes havia
ensinado. Jesus estaria sempre com eles ( Mt 28,10-20), Acontece com
os cristãos através do tempos o mesmo que se deu com os apóstolos. A
fé pode se obscurecer, mas os sinais das bodas de Deus com a
humanidade brilhariam sempre no dom da partilha, do amor e da
fidelidade, do acolhimento aos irmãos e irmãs. É preciso que se peça
ao Senhor que coloque nos nossos corações uma abertura aos sinais de
sua presença no mundo e em todas as circunstâncias de nossas vidas.
Professor no Seminário de Mariana durante 40 anos.