Paróquia Santa Rita de Cássia

O Papa Francisco desenvolveu um ciclo de catequeses sobre a oração do Pai Nosso, durante a Audiência Geral, a qual costuma ser realizada todas as quartas-feiras, na sala Paulo VI, no Vaticano. Para nos ajudar na vivência de uma espiritualidade cristã e no caminho de crescimento do encontro pessoal com Jesus Cristo, sobretudo a partir do Evangelho, destacamos alguns pontos da primeira meditação do Papa feita no dia 05/12/18.

Jesus era um homem de oração (Mc 1,35). Diante da missão e de tantas pessoas que o procuravam, Ele se afastava na solidão para orar.

Jesus não se preocupou em atender todas expectativas de quem o elegeu como líder. Ele não se apegou às pessoas, mas soube se distanciar, pela oração, para se manter um Messias original, que não busca o sucesso (Mc 1,37).

“Jesus é o Deus próximo”. As pessoas precisavam entender que não era elas que o procuravam, pois antes de tudo, era Ele que procurava os outros.

Jesus é peregrino. Ele andava por todo o lado (Mc 1,38-39), pelas estradas da Galileia. Além disso, peregrinava rumo ao Pai, através da oração. Jesus estava sempre a caminho, rezando.

Jesus se mostra íntimo do Pai, pela oração. Por isso, foi capaz de ser fiel na hora mais difícil, a agonia do Getsémani. Jesus escutava a voz do Pai e se oferecia a Ele em oração. Uma oração que se apoia na cruz.

Jesus rezava: junto às pessoas, nas sinagogas; sozinho no monte, afastado em silêncio; até mesmo antes de expirar na cruz, falando palavras dos salmos: “Pai, em tuas mãos, entrego o meu espírito” (Sl 30). Os discípulos sabiam que ele era o mestre também da oração. Chegaram a pedi-lo que lhes ensinasse a rezar (Lc 11,1). Para nos matricular nessa escola de oração precisamos dar o primeiro passo da humildade. “A prece humilde é ouvida pelo Senhor”.

O convite do Papa Francisco para cada um de nós é este: todos podemos ir além e rezar melhor. Com humildade repitamos sempre a invocação dos discípulos: “Senhor, ensina-me a rezar”.

Para refletir:

Gosto de rezar? A oração me torna íntimo de Deus? Ela me ajuda a encontrar com o próximo?


Fabiano Henrique de Matos

Seminarista da Arquidiocese de Mariana